Blog da ABCD

Ceia sem exageros

Opções saudáveis de cardápio não colocam a integridade intestinal em risco.

A época das festas de fim de ano é uma das que mais exigem disciplina de quem convive com doenças inflamatórias intestinais. Com tantas guloseimas e iguarias à mesa, é preciso evitar os exageros para que a festa não termine em transtornos. Apesar de algumas restrições alimentares, a ceia pode ser extremamente saborosa e atrativa mesmo sem gorduras e laticínios, dois vilões das doenças inflamatórias intestinais. Os pacientes também devem evitar fugir muito da dieta habitual neste período do ano, para que o organismo não tenha reações mais severas. Além disso, consumir bebida alcoólica com moderação é fundamental.

A professora doutora Maria Izabel Lamounier de Vasconcelos, nutricionista coordenadora de cursos do Ganep Nutrição Humana e consultora da Associação Brasileira de Retocolite Ulcerativa e Doença de Crohn (ABCD), lembra que os alimentos não provocam as crises, mas têm a capacidade de potencializar os sintomas. A bebida alcoólica fermentada, como vinho e champanhe, por exemplo, costuma piorar o quadro de DII. “Na verdade, tudo pode ser ingerido, com exceção de pimenta, desde que o paciente não esteja em crise”, ensina.

Também é importante que cada pessoa conheça as suas intolerâncias para evitar alimentos que façam mal em qualquer época do ano, mas alguns ingredientes devem evitados mesmo em períodos de remissão da doença. “As reações aos alimentos e restrições são bem individuais, mas, no geral, os alimentos que mais interferem nos sintomas de DII são leite de vaca e derivados, alimentos muito gordurosos e frituras, açúcar e doces”, reforça a nutricionista Ana Carolina Abreu.

A especialista diz que, em festas de amigos ou restaurantes, o ideal é buscar alimentos mais leves, sem muitos condimentos, e evitar preparações muito elaboradas nas quais os ingredientes ficam ‘escondidos’. Em locais onde se tem intimidade com o anfitrião, o ideal é questionar sobre o cardápio e, caso não haja opção, levar sua ‘marmita’, ou parte dela, de casa. “Em outros ambientes, deve-se buscar as opções mais leves e já conhecidas, evitar preparações com muitos molhos, fugir das sobremesas carregadas e das frituras”, orienta.

 

Trocas – Tradicional nas festas de Natal e Réveillon, a carne de porco é uma das que devem ser evitadas por pessoas com DII. Peru e chester podem substituir o ingrediente, no entanto, essas carnes processadas também devem ser consumidas com moderação, porque contêm aditivos químicos que podem piorar o processo inflamatório. Castanhas e frutas secas podem ser consumidas, mas sem abuso, e as melhores indicações são a uva passa e o damasco.

Se a opção for pelas massas, o molho vermelho deve ser feito em casa com tomates sem pele e sem sementes. Já para o molho branco deve ser usado leite com baixo teor de lactose ou leite de soja. “Sobremesas com creme de leite e leite condensado podem ser substituídas por doces de frutas (sem adição de açúcar), como maçã assada, doce de abóbora e de mamão”, sugere a nutricionista Maria Izabel Lamounier de Vasconcelos.

 

Criatividade e mais saúde

  • Acrescente peixes e carnes mais magras na ceia, no lugar de carnes tradicionais;
  • Substitua o leite de vaca nas receitas por bebidas vegetais à base de arroz, coco, amêndoas e outros ingredientes;
  • Óleo de coco, azeite de oliva e manteiga ghee – um tipo de manteiga clarificada feita com leite de vaca ou de búfala – são ótimas opções para substituir gorduras hidrogenadas e saturadas;
  • Use a biomassa de banana verde para melhorar a consistência de alimentos que, normalmente, são feitos com leite condensado ou creme de leite. Isso ajuda a diminuir a quantidade de gordura e açúcar, e diminui o processo inflamatório;
  • Frituras podem ser substituídas por opções assadas;
  • Panetones industrializados também podem ser vilões, por isso, prefira as versões caseiras;
  • Consuma bebida alcoólica com moderação e intercale sempre com água, assim o consumo já será menor;
  •  Aromatizar a água com frutas e especiarias pode ser uma boa alternativa para substituir as bebidas alcoólicas. Chás misturados com sucos também são uma excelente opção;
  •  Utilizar ingredientes como o tofu ou oleaginosas no lugar de requeijão ou queijos gordurosos também melhora a qualidade da receita.
  • Fonte: Nutricionista Ana Carolina Abreu